quarta-feira, 15 de outubro de 2014

O erro de Paulo Bento

O grande erro (o maior, porque houve vários) de Paulo Bento foi pensar que uma equipa nacional se pode gerir da mesma maneira que uma equipa de um clube. Ao querer impôr respeito e dar o exemplo de rigor e disciplina, acabou por prejudicar a equipa nacional.

É tão simples quanto isto:
Num clube as coisas são diferentes, porque a base de recrutamento é muito maior.  Num clube, o treinador pode incompatibilizar-se com 1 (ou 2 ou 3) jogador à vontade. Se esse jogador por acaso era uma peça importante na equipa, o problema não é muito grave porque existe a possibilidade de se ir comprar um substituto a qualquer lado.

Ora, numa Selecção, neste caso a Portuguesa, se te incompatibilizas com 2 ou 3 jogadores importantes e tens o azar de não existirem outros do mesmo nível com a nacionalidade Portuguesa, acabas de criar um problema para ti enquanto treinador, para a tua equipa e para o teu país.

Ontem comprovou-se a falta que Ricardo Carvalho e Tiago têm feito à nossa Selecção. Carvalho quando se aplica é um autêntico muro intransponível. Tiago é um pêndulo fabuloso na manobra de qualquer equipa.

Tivesse havido menos intransigência e casmurrice de Paulo Bento, tivesse procurado entendimento e reconciliação, a sua equipa seria bem mais forte. Consequentemente, os seus resultados seriam melhores e o seu próprio desempenho no papel de Seleccionador seria melhor.

Fica a lição Paulo Bento!

Quanto ao jogo, como se previa, o esquema do 4-3-3 sem avançado centro prejudica a manobra ofensiva da equipa. A equipa esteve mais equilibrada defensivamente (e a Dinamarca não é uma França, o que ajuda!), mas ofensivamente parecia que tínhamos um colete de forças vestido. Além do mais, foi notório que Ronaldo não consegue jogar um décimo das suas capacidades sem a presença do avançado no meio.

Danny, a jogar no centro, tinha a missão de ajudar no equilíbrio defensivo da equipa e parece-me que teve sucesso nessa missão. Mas ofensivamente, se Danny nem nas alas consegue encher as medidas, então ali no meio é muito fraco mesmo.

Fica identificado o problema principal para Fernando Santos resolver!!

De resto, boa raça, entreajuda e acreditar até ao fim! Procurámos a sorte e ela apareceu. As perspectivas são melhores e há esperança que esta equipa consiga voltar a entusiasmar os portugueses. Será desta que cumprimos a nossa obrigação de nos qualificamos sem espinhas em primeiro lugar destacado?

3 comentários:

  1. Não acho que a selecção de Paulo Bento tenha perdido por não convocar Danny, Quaresma e Ricardo Carvalho. Na altura do mundial estes também não estavam nada famosos em termos físicos.

    Eu penso que o problema de Paulo Bento, foi querer impor um 4-3-3 que não tinha base de sustentação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não percebo o que significa "nao tinha base de sustentação".
      Mas os problemas de Paulo Bento foram vários, como referi. Esta questão da incompatibilização com jogadores importantes foi uma das mais importantes, não só porque diminuiu a qualidade do plantel mas também porque foi a partir daqui que tudo começou a correr menos bem e a deteriorar-se.

      PP, a selecção de PB não se prejudicou por não convocar Ricardo Carvalho e Tiago? Bruno Alves já não se mexe e Meireles a mesma coisa! Numa Selecção que já tem falta de opções, ainda por cima ficar orfã do central e do médio centro, achas que isso não foi problema?

      Eliminar
  2. A catedral precisa do teu voto para a eleição do melhor estádio do mundo;

    http://aputasacanagem.blogspot.pt/2014/10/vota-na-catedral-para-eleicao-do-mais.html

    ResponderEliminar